Apae Santa Maria: 50 anos de cuidado e atenção com os mais necessitados

0

APAE Santa Maria está completou 50 anos de historia. (Foto:Gabriel Pfeifer/APUSM)
APAE Santa Maria está completou 50 anos de historia. (Foto:Gabriel Pfeifer/APUSM)

 

 

 

No dia 30 de Abril de 1966, uma historia de solidariedade, amor e carinho começou a ser escrita em Santa Maria. Devido a necessidade de alguns pais com seus filhos especiais,  pessoas como Edmundo Cardoso, Luci Cortez e o professor Quintino Oliveira se organizaram para fundar a Associação de Pais e Amigos Excepcionais (APAE) em Santa Maria. Tudo começou na Escola Francisco Lisboa, no Bairro Nossa Senhora das Dores, e atualmente a APAE funciona na escola especial Jandira Tolentino, no Bairro Santa Marta.

E 2016 é um ano especial para a Associação. No último dia 30 de Abril, a APAE Santa Maria completou 50 anos. E neste período passou por diversas melhorias e obteve importantes conquistas, sendo talvez a principal delas no final de agosto de 2015, em que a instituição  conseguiu o contrato e o convênio com o estado através do Ministério da Saúde, e com isso passou a ser a primeira da região central a oferecer próteses e órteses pelo SUS, beneficiando pacientes de 33 municípios da região, sem a necessidade que se locomovam até Porto Alegre para conseguir os equipamentos, o que é um motivo de orgulho para Julio Cesar Brenner, o “Julinho”, presidente da APAE SM a dez anos: “É uma satisfação enorme, pois eu como cadeirante sei das dificuldades, inclusive abdiquei de concorrer a vereador de novo em prol de seguir aqui na APAE realizando este trabalho que é de muita importância para tantas pessoas. È satisfatório.”- declara Julio.

E as melhorias não param por ai, o presidente afirma que o próximo passo é a construção de um prédio ao lado da Associação voltado única e exclusivamente para o Centro de Reabilitação: “Já temos o projeto arquitetônico praticamente finalizado para a gente começar a construir este prédio e oferecer uma estrutura ainda melhor para os nossos pacientes”.

A trajetória de Julinho Brenner nestes 10 anos na presidência da APAE é também marcada por algumas dificuldades e muita luta para seguir em frente, já que em alguns anos o município retirou alguns professores que trabalhavam na Associação. Mas mesmo em meio a adversidades, a APAE Santa Maria conseguiu se manter forte para ajudar as pessoas e hoje recebe 120 alunos com necessidades especiais diariamente, que alternam nos períodos de manhã e tarde, além de é claro beneficiar pessoas de outros municípios da região central do estado.

Outro projeto que já é realizado a bastante tempo na APAE é a inclusão dos alunos no mercado de trabalho. Atualmente, 25 ex-alunos da instituição estão trabalhando formalmente no mercado, o que também é motivo de muita gratificação para Julinho: ” Eu acho que a inclusão no trabalho é o que mais dignifica o aluno. O maior sucesso nosso é quando conseguimos colocar um aluno ou ex-aluno nosso no mercado de trabalho”.

A Apae Santa Maria conta atualmente com 35 funcionários que trabalham forte diariamente para realizar o melhor atendimento possível para os seus alunos e outras pessoas com necessidades especiais. Uma dessas funcionárias é a educadora especial Anelise Hartman, que contou que as atividades realizadas com os alunos são das mais variadas: “As atividades que nós planejamos para os alunos são sempre de acordo com o potencial de cada um, de acordo com o tempo que cada um necessita para realizar as atividades. Eles tem diversas atividades durante a semana, como reuniões com o Psicólogo, aulas de Educação Física, encontros com a Fonoaudióloga e na sexta-feira eles tem o grupo de dança”- relata a professora.

      Jantar baile para comemorar os 50 anos 

Grupo de dança da APAE encantou as 450 pessoas presentes no Jantar Baile no ATC. (Foto: Gabriel Pfeifer/APUSM)
Grupo de dança da APAE encantou o público presente no Jantar Baile, realizado no ATC. (Foto: Gabriel Pfeifer/APUSM)

E para comemorar estes 50 anos da Associação, nada melhor do que um jantar-baile beneficente, que ocorreu no Avenida Tênis Clube no último dia 9 (sexta-feira). Um público de 450 pessoas esteve presente para confraternizar este momento especial na história da Associação, que desde 1966 acolhe pessoas com necessidades especiais e espalha o bem pelo coração do Rio Grande.

O grupo de dança “Apaixone-se” que é composto pelos alunos da APAE, se apresentou e emocionou a platéia no salão principal do ATC. Além deste espetáculo proporcionado pelos alunos, o jantar comemorativo também teve como atrações musicais os vocalistas Edgar Pozzer e Janu Uberti.

Julio Brenner foi um dos homenageados e aproveitou o momento para valorizar todos aqueles que trabalham duro em benefício das pessoas que mais necessitam: “Em primeiro lugar gostaria de agradecer aos amigos que vieram aqui hoje confraternizar conosco esses 50 anos que a APAE Santa Maria está fazendo. Queremos agradecer a todos os nossos funcionários, que levam a melhor qualidade de atendimento para as pessoas que estão a nossa guarda. Ninguém faz nada sozinho” – declarou.

Uma iniciativa inovadora e marcante

Foto: Jean Pimentel (Agência RBS)
50 pessoas compareceram a primeira edição da balada inclusiva. Foto: Jean Pimentel/Agência RBS

Outro evento comemorativo ao aniversário de cinquenta anos da instuição, foi a Balada Inclusiva, realizada no último dia 23 de Agosto, no Kasarão On Stage. Um projeto eemocionante, que fez parte do calendário da 3º Semana Municipal da Pessoa com Deficiência e proporcionou um momento de muita alegria para as 500 pessoas que estiveram presentes, entre alunos das APAES de Santa Maria, Júlio de Castilhos e São Vicente do Sul, além de alunos especiais de algumas escolas de Santa Maria, e é claro, amigos e familiares.

A responsabilidade de animar o pessoal ficou por conta das atrações musicais como “Dé e Thiago”, DJ Betinho Bozetto, além do performance da equipe Fuel Eventos. O gerente de planejamento e marketing da APAE Santa Maria, Renan Beltrão, que foi um dos idealizadores do projeto afirmou que a ideia foi motivada com o intuito de marcar e proporcionar uma experiência diferente na vida destas pessoas, e destacou o sucesso da primeira edição da balada: “A ideia era tirar os alunos da rotina e fazer uma festa de verdade em uma boate. A repercussão foi grande e outras ONGS e instituições pediram para participar caso fosse ser realizada uma outra edição.”

Como ajudar a APAE?

Para contribuir com qualquer valor ou se tornar um sócio da APAR, basta ligar para o número (55) 3212-2111 ou então se diriger a sede da Associação, que fica na Rua Coronel Benjamin D’Avila Prado, número 400, no Bairro Santa Marta.

Por Gabriel Pfeifer

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS