Como o estudante universitário aprende e como ele pode aprender mais

0

O que é neurociência e qual sua relação com a aprendizagem? Neurociência é um termo abrangente, que envolve diversas áreas do conhecimento, mas, em termos gerais, é o estudo do sistema nervoso. A aprendizagem ocorre na estrutura do sistema nervoso, assim como outros aspectos do comportamento humano, como o desejo e a percepção. 

Quem nos conta isso é a professora Leonor Bezerra Costa, do Programa de Pós-Graduação em Neurociências da UFMG, que esteve na UFSM na semana passada para ministrar a palestra “Neurociência e aprendizagem: como o estudante universitário aprende”.

“A neurociência estuda os aspectos de atenção, de linguagem, de raciocínio lógico matemático, de percepção, de memória, de elaboração de estratégia de comportamento, estuda como nós tomamos decisões, como a gente reflete sobre o mundo, é responsável pelas nossas emoções. Então, a atividade do sistema nervoso está relacionada com todos esses aspectos, que dizem respeito a vários momentos da aprendizagem”, explica Leonor.

Desde o ensino básico, segundo a pesquisadora, o modo como o professor ensina e como o aluno estuda costuma ser prejudicial para a aprendizagem. O ensino tem um caráter punitivo e não de momento de desenvolvimento, e a relação entre professor e aluno costuma ser de desconfiança, quando deveria ser ao contrário. “O que a gente vê no contexto da escola é que nem sempre o aluno tem a ideia de que ele está na escola para melhorar a si próprio e se tornar uma pessoa diferente e melhor. Ele pensa que está fazendo uma disciplina e precisa passar para se formar, e vai estudar apenas para tirar uma boa nota”, conta a professora.

A partir desta realidade, Leonor explica que a primeira reflexão que o aluno deve fazer é a de que ele está na escola e, principalmente, na universidade por vontade própria. Então, para melhorar sua aprendizagem, é importante estudar regularmente, porque só assim a memória de longa duração pode ser consolidada, e ela só é consolidada quando a pessoa dorme bem. “O aluno tem que se reorganizar para estudar um pouco todo dia, para a cada período de sono ele consolidar melhor as memórias e assim conseguir progresso”, deixa claro a professora.

Mais de 300 pessoas acompanharam as palestras

Outro ponto que depende exclusivamente do aluno é a atenção, como esclarece Leonor: “você não consegue prestar atenção em duas coisas ao mesmo tempo e do mesmo jeito, você até alterna a sua atenção entre duas tarefas, mas você não faz ambas com a mesma eficiência que você faria se fizesse uma de cada vez”.

A aula expositiva, método mais comum de ensino nas universidades, nem sempre é a melhor aliada da aprendizagem. “A aula expositiva é ótima em algumas situações, mas ela não é a principal estratégia de aprendizado. A aula expositiva é boa quando os alunos já leram sobre o assunto, ou também como ‘chamarisco’ para o assunto”, conta Leonor. 

As estratégias pedagógicas mais eficientes, segundo a professora, são aquelas que fazem o aluno ter uma postura mais ativa em relação ao aprendizado, o que envolve discutir e fazer perguntas sobre o assunto estudado. Nessa questão, entra o papel da tecnologia na vida tanto dos alunos como dos professores, que precisam entender que não são mais quem necessariamente dá a melhor informação. “Os alunos precisam hoje em dia é de orientação sobre como criticar a informação, de como refletir sobre ela”, diz ela, para quem esse seria o lugar do professor na realidade atual.

As palestras que trataram sobre estes assuntos ocorreram na última quarta-feira (26), reunindo mais de 300 participantes, entre alunos, servidores e comunidade externa à UFSM, e foram organizadas pela Comissão de Avaliação Institucional do Centro de Ciência Rurais (CCR), com apoio da Unidade de Apoio Pedagógico do CCR. 

Realizadas no Espaço Multiuso, as palestras foram antecedidas por apresentações artísticas: pela manhã, a dupla infantil Cauã e Diuly, que tocaram peças do cancioneiro nativista em seus acordeões, e à tarde, o Grupo Recital de Conclusão, integrado por alunos do Colégio Politécnico e coordenado pelos professores Iara e Leonardo.

Quem participou das palestras pode avaliá-las neste link.

Texto e fotos: Luana Mello, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Foto de capa: Germano Molardi, acadêmico de Jornalismo, bolsista da Agência de Notícias

Fonte: Site UFSM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS