Equipe da UFSM conquista 2º lugar em desafio técnico da RoboCup 2015

0

A equipe da UFSM contou com o professor Giovani Librelotto e alunos dos cursos de Engenharia de Controle e Automação, Engenharia da Computação, Ciência da Computação e Desenho Industrial.

foto_capa_robocup2.png.1170x308_q85_crop
Foto: UFSM

A equipe TauraBots, formada por integrantes da UFSM em parceria com a equipe alemã WF Wolves da Universidade de Ciências Aplicadas de Ostfalia, conquistou o 2º lugar no torneio mundial de robôs, a RoboCup 2015.

Entre os dias 17 e 23 de julho, a equipe esteve na cidade de Hefei, na China, para participar da maior competição acadêmica de robótica do mundo. Integrada por um time misto entre a equipe da UFSM e a equipe alemã, a TauraBots competiu em duas categorias da liga de robôs bípedes (que caminham sobre duas pernas): com os robôs de tamanhos pequeno (de 40cm a 90cm de altura), e com os de tamanho médio (de 80cm a 140cm de altura).

Além de dividir custos, a parceria através do acordo bilateral com a universidade alemã promove intercâmbio e trocas de conhecimento. “Além do custo de aquisição, manutenção e transporte dos equipamentos, e gastos com a viagem da equipe, há ainda demandas humanas em áreas diversas, como mecânica, eletrônica e computação. Através dessa parceria, conseguimos dividir essas diversas responsabilidades”, explica o professor Rodrigo da Silva Guerra, coordenador da equipe. A equipe ainda conta com o professor Giovani Librelotto e diversos alunos dos cursos de Engenharia de Controle e Automação, Engenharia da Computação, Ciência da Computação e Desenho Industrial.

Com o objetivo de, até 2050, fomentar o desenvolvimento de robôs humanoides capazes de jogar contra humanos, a RoboCup exige a cada ano mais inteligência, robustez e autonomia dos robôs. Pela primeira vez este ano, os robôs precisavam caminhar sobre grama artificial em vez de carpete, e detectar bolas e traves sem o código de cores especial utilizado anteriormente, quando a bola era sempre laranja e as traves eram amarelas, para facilitar a identificação pelo sistema de visão dos robôs.

Representando a UFSM, o professor Rodrigo Guerra e o aluno de Ciência da Computação Fabrício Montenegro viajaram à China, onde se encontraram com os 11 integrantes da equipe alemã e com o aluno Lucas Wilke Dalla Rosa, do curso de Engenharia de Controle e Automação da UFSM, que já vinha trabalhando com a equipe alemã desde o início do ano, durante o intercâmbio na Universidade de Ostfalia, onde aprendeu a operar os robôs. O aluno ainda teve a oportunidade de viabilizar um intercâmbio custeado pela RoboCup em Taiwan, onde trabalhou com uma equipe de taiwaneses, canadenses e iranianos durante cerca de três semanas antes de seguir para a China.

A equipe TauraBots foi eliminada do torneio de futebol na primeira rodada, em que apenas cinco das 15 equipes participantes conseguiram marcar gols.O foco da equipe mista se voltou, então, aos desafios técnicos, que são provas que testam habilidades dos robôs, antecipando regras que podem ser integradas ao torneio de futebol nos anos subsequentes. Nessa categoria, o desempenho superou o das outras equipes e alcançou o segundo lugar na competição, com destaque para a prova de salto, onde o robô da TauraBots conseguiu se manter no ar por 226ms, o maior tempo entre as equipes. Esse desempenho se deveu principalmente à tecnologia de atuadores com molas em série, desenvolvidos pelo Grupo de Automação e Robótica Aplicada (GARRA) da UFSM.

Além do título do segundo lugar e diversos elogios, a equipe TauraBots retornou à UFSM trazendo junto o Bender, um robô humanoide cedido pela equipe parceira alemã. “Ficamos contentes com este primeiro resultado, bastante bom para uma equipe iniciante. Mas ano que vem a meta é voltar com um troféu!” — planejou o professor Rodrigo Guerra.

Campos de treino - UFSMCertificado de segundo lugar nos desafios técnicosBrasileiros e alemães trabalhando lado a lado na equipe mista.

Ao ser inspecionado, foi constatado que a cabeça estava fora das medidas. Precisou ser modificada às pressas.Prof. Rodrigo da Silva Guerra ajustando o algoritmo de caminhada desenvolvido pelo aluno Rafael Miranda do Curso de Eng. de Controle e AutomaçãoFoto ao final do último jogo

Fonte: Assessoria UFSM

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS