Nº de formados no ensino superior cai pela 1ª vez em 10 anos

0

Queda de 5,7% no número de graduados foi acompanhada de redução no total de ingressantes em universidades no ano passado

Onúmero de brasileiros universitários que se graduaram em 2013 caiu 5,7%, desde 1,08 milhão em 2012 até 994,8 mil no ano passado, registrando uma redução pela primeira vez desde 2003, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Ministério da Educação.

Assim como o indicador acima, também apresentou uma ligeira queda o número de brasileiros que ingressaram no primeiro semestre da universidade, desde 2,756 milhões em 2012 para 2,743 milhões em 2013, segundo uma pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O número de estudantes que se matricularam no primeiro semestre em cursos universitários em 2013, no entanto, é 76,4% maior do que o medido em (1,5 milhão).

Da mesma forma, o número de brasileiros matriculados na universidade em qualquer semestre cresceu 3,8% no último ano, até 7,306 milhões em 2013, e 85,5% em comparação com os números de 2003 (3,3 milhões).

Do total de alunos matriculados na universidade no ano passado, 5,3 milhões (73,5%) estavam em instituições privadas e o restante em universidades públicas.

O INEP contabilizou no ano passado 31.866 cursos universitários oferecidos por 2.391 instituições, das quais 2.090 são privadas e 301 públicas, e ditados por 367.282 professores.

Dos matriculados, 53,3% cursavam estudos em universidades, 29,1% em faculdades, 15,8% em centros universitários e 1,9% em instituições tecnológicas.

Segundo o Ministério da Educação, a porcentagem de brasileiros que terminam a faculdade em relação aos que ingressam caiu de 46% em 2009 para 36% em 2013, mostrando que a cada ano aumenta o número de desistentes.

Os cursos com maior número de matriculados são os de administração de empresas (800.114), direito (769.889), pedagogia (614.835), ciências contábeis (328.031), engenharia civil (257.268), enfermaria (228.515), psicologia (179.892), serviço social (173.758), recursos humanos (172.083) e engenharia da produção (144.127).

Fonte: Portal Terra.

SEM COMENTÁRIOS