Acadêmicas da UFSM apresentam trabalhos na reunião anual da SBPC

0

De 22 a 27 de julho, a formanda do curso de Letras Português e integrante do Laboratório Corpus Luiza Boézzio Greff e a formanda do curso de Pedagogia diurno e bolsista de iniciação à docência (Pibid) Fabiane da Rosa Domingues participaram da 66ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), realizada na Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco.

Luiza apresentou o trabalho Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada: Discurso e Memória Social e Fabiane apresentou o trabalho As Potencialidades dos Recursos Educacionais Abertos no Processo Ensino-Aprendizagem Mediado por Tecnologias em Rede Entre Modalidades Educacionais da UFSM. Ambas participaram do evento devido à premiação obtida na Jornada Acadêmica Integrada (JAI) de 2013.

A 66ª Reunião Anual da SBPC teve 6.531 inscritos para participar das quase 200 atividades (minicursos, conferências, debates, mesas-redondas, encontros e sessões especiais). Além da programação científica – SPBC Jovem, SBPC Mirim, ExpoT&C, SBPC Cultural -, neste ano, por ser realizada no Acre, a SBPC contou também com as programações Dia da Família na CiênciaSBPC Extrativista e SBPC Indígena.

Luiza destaca a importância de ter participado do evento. “Tive a oportunidade de conhecer estudantes, professores e pesquisadores de vários lugares do país, falar sobre nossos trabalhos, sobre os diferentes currículos, sobre o que nos motiva a continuar estudando. E para tornar tudo ainda mais inesquecível, tive oportunidade, com a SBPC Indígena, de conhecer representantes de diversas tribos que são estudantes, professores, líderes de organizações, xamãs, parteiras. A SBPC me mudou como acadêmica, como futura profissional e como pessoa”, salienta.

Já Fabiane destaca que o evento foi de suma importância para a formação inicial enquanto futura docente, pois ofertou trocas de conhecimentos, experiências e cultura entre povos diferentes. “A aprendizagem foi muito gratificante e considero a fala de Paulo Freire própria deste evento: ‘É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal maneira que num dado momento a tua fala seja a tua prática'”, afirma.

SEM COMENTÁRIOS