SMXC: o segundo clube de xadrez do Brasil fundado pelo professor João Belém

0

O professor João Belém foi o fundador e primeiro presidente do segundo clube de xadrez do Brasil, fundado em Santa Maria, embrião do hoje Santa Maria Xadrez Clube. Foto reprodução internet
O professor João Belém foi o fundador e primeiro presidente do segundo clube de xadrez do Brasil, fundado em Santa Maria, embrião do hoje Santa Maria Xadrez Clube. Foto reprodução internet

Os primeiros relatos da prática do jogo de xadrez em Santa Maria vêem do período da Revolução Farroupilha, quando um grande fluxo de imigrantes alemães se estabeleceu na cidade, provavelmente fugindo da violência do conflito que atingiu a região do Vale do Rio dos Sinos, local onde esta etnia se estabeleceu em solo gaúcho, logo depois da vinda da Europa, em 1824.

Depois, em 1904, com a fundação da Fazenda Phillipson, em Itaara (então 4ª Distrito de Santa Maria), e o evento da primeira imigração organizada de judeus para o Brasil vindo da Europa Oriental, uma nova leva de enxadristas chegou ao Município, consolidando a região Central do Rio Grande do Sul como uma das pioneiras neste esporte no país.

Tanto que, em 4 de setembro de 1921, foi fundado o Clube de Xadrez Brasil, tendo como seu primeiro presidente o professor João Belém; Carlos Cini, Raul Miranda e Silva e Cícero Jacinto Barreto como vices; Homero Miranda como tesoureiro e Otacílio Engler como adjunto; Afonso Holtermann como secretário; Domingos Ribas, José Albuquerque, Rodolfo Seibel, Alcides Roth, Bernardo Burkinsky e Tasso Belém como diretores.

Este clube, que tinha suas atividades na casa do professor João Belém (localizada no início da Avenida Rio Branco e hoje tombada como Patrimônio Histórico de Santa Maria), é considerado o segundo clube de xadrez de todo Brasil, perdendo cronologicamente somente para o São Paulo Xadrez Clube, que tem data de fundação em 1903.

Consta que, depois de desativado devido a morte de seu primeiro presidente e fundador, em 1944, os remanescentes se transferiram para residência do sócio Lotário Uhr, onde permaneceram até meados dos anos 1960, quando uma nova mudança os levou para uma sala no subsolo do tradicional Clube Caixeiral de Santa Maria.

Nos final dos anos 1970, nova transferência de local. Desta vez em busca de um lugar mais silencioso e apropriado para a prática do esporte, devido a grande movimentação de pessoas e das mais diversas e concorridas atividades na sede do Caixeiral, considerado, então, o clube da moda daqueles tempos.

O local escolhido foi o Clube Comercial de Santa Maria, localizado na Praça Saldanha Marinho, onde foi estabelecida uma parceria, já então com o nome de Santa Maria Xadrez Clube. Entre seus freqüentadores, nomes como Carlos Gomes Souza, Orestes Dalcin, Eugênio Farias, Luis Finn, general Rotha, coronel Thomas Rodrigues, coronel Johnny Linhares, Eduardo Pfeifer, professor Eufísio Cunha e os irmãos David e Mendel Russovsky.

É desta época os maiores títulos no xadrez da cidade (entre eles, dois vice campeonatos gaúchos, campeonato gaúcho por equipe, dois campeonatos gaúchos interclubes e vice campeonato brasileiro por equipes e Vice Campeonato Brasileiro de Veteranos, entre outros) que culminaram com a conquista do Campeonato Gaúcho e, depois, o Brasileiro Juvenil  de 1983, pelo enxadrista santa-mariense, Ivan Boere de Souza, hoje Mestre FIDE e também sócio e diretor jurídico do SMXC.

Alguns dos nomes desta nova geração de enxadristas são, além de Boere, Paulo Airton Rabuske, Zanoni Segala, Kleber Zimermann, Molenda, Eduardo Sperb (campeão gaúcho Sub 26 -1995), Clademir Ferreira, João Paulo Lukaszczyk, Sandro Tavares (campeão gaúcho Sub 18 – 1995), Milton Monteiro (campeão gaúcho Sub 16 -1996), Ricardo Chemim (vice-campeão gaúcho Sub-16 – 1996), Guilherme Genro e a família Paulo (três gerações), capitaneada pelo Dirney Paulo.

Com a decadência administrativa do Clube Comercial, por volta do início dos anos 2000, os enxadristas santa-marienses foram desalojados para aluguel de sua sala e rodaram por vários cafés, bibliotecas e livrarias de Santa Maria, onde promoviam seus encontros e competições.

Em 2009, o Sebo Café recebeu em suas dependências uma nova geração de jogadores de xadrez e um novo ciclo de desenvolvimento neste esporte teve inicio na cidade. Esta nova fase foi consolidada, em 2013, quando o Santa Maria Xadrez construiu uma parceria com a APUSM e começou a promover torneios e competições com mais assiduidade, sempre com número crescente de participantes.

Hoje a parceria APUSM-SMXC é uma referência nacional na pratica do xadrez, com a realização de fortes torneios com a participação de consagrados enxadristas e já instalou as bases de uma escola de xadrez para todos os níveis deste esporte que em breve deve começar suas atividades.

E os nomes que despontam nestes novos tempos são da tri-campeã do JERGS, Lidia Maria Albuquerque, e do bicampeão do JESMA, Juan Machado, e ainda, Diego Moritz, Leonardo Bortollotti, Victor Maffini, assim como do talento de David Porto, no alto de seus seis anos de idade.

 

SEM COMENTÁRIOS